Estenose de JUP em Urologia Pediátrica

Sumário

A Estenose de JUP ou obstrução da junção ureteropélvica é uma condição em que há um bloqueio na passagem da urina na área da junção onde o ureter se liga ao rim. Isso resulta em diminuição do fluxo de urina pelo ureter e um aumento da pressão do fluido dentro do rim. O aumento da pressão dentro do rim pode, com o tempo, causar deterioração da função renal.

Estenose de JUP causando Hidronefrose.

Causas:

O ureter é uma estrutura tubular longa e fina de 15 a 20 cm de comprimento que transporta a urina produzida no rim para a bexiga. A urina é transportada por um processo chamado peristaltismo. A musculatura do ureter impulsiona ativamente a urina do rim para a bexiga.

A obstrução pode ser congênita (o paciente nasce com ela) ou se desenvolver ao longo do tempo secundária a trauma ou mudança na forma do corpo com a idade. 

A obstrução ou bloqueio pode ser devido a um tecido cicatricial, torção, um vaso sanguíneo ou mais raramente um tumor.

Sinais e sintomas

Nas crianças, a Estenose de JUP geralmente não causa sintomas, pois é uma condição congênita com a qual ela já está bem adaptada. 

Eventualmente pode causar dor no flanco do lado afetado, geralmente em crianças mais velhas quando a condição congênita se agrava ou se ela desenvolve a estenose como uma nova condição. A dor pode ser intermitente e emalguns pacientes pode ficar mais intensa após a ingestão aumentada de líquidos. 

Crianças com grau mais severo de obstrução são suscetíveis a infecção do trato urinário uma vez que a urina tem maior estase e facilita o desenvolvimento bacteriano. Quando a infecção ocorre em associação com a obstrução, e isso é mais comum nas crianças menores, os pacientes podem ficar bastante doentes e ter febre alta.

Diagnóstico

Pode é feito a partir dos sintomas e dos exames de imagem.

Em alguns casos, a condição é detectada acidentalmente em raios-x ou ultra-som durante a avaliação de problemas não relacionados. 

Para confirmar o diagnóstico, geralmente é solicitado um exame cintilográfico que vai avaliar se há obstrução e qual o prejuízo que esse rim já sofreu com ela.

Condições infecciosas maia graves podem exigir hospitalização, drenagem de emergência da urina e tratamento com antibióticos intravenosos.

Tratamento

A maioria dos casos nas crianças não precisará de tratamento cirúrgico, pois a obstrução é parcial e não prejudica a drenagem de urina do rim, não causando dano renal.

Contudo, naqueles casos em que o rim apresenta sinais de sofrimento (visto na cintilografia) ou em que há sintomas ou infecções urinárias, indica-se o tratamento, que é cirúrgico.

As opções de tratamento são:

  1. O tratamento tradicional para a obstrução da junção ureteropélvica tem sido a cirurgia aberta para cortar a área da cicatriz que está causando obstrução e reconectar o ureter ao rim. Nos últimos anos, novas opções de tratamento menos invasivo foram desenvolvidas.
  2. A pieloplastia laparoscópica foi desenvolvida para obter a mesma alta taxa de sucesso obtida com a pieloplastia aberta, diminuindo a morbidade. O procedimento interno é realizado da mesma forma que a cirurgia aberta, sem a necessidade de uma grande incisão. A dor pós-operatória é menor, a recuperação é significativamente mais rápida e as cicatrizes são mínimas quando comparadas com a cirurgia aberta. O procedimento requer anestesia geral e hospitalização (geralmente 2 noites). Um stent interno (duplo-J) é necessário por quatro semanas. O sucesso com este procedimento é o mesmo da cirurgia aberta (>95%).
  3. A endopielotomia é um procedimento através do qual um telescópio ou balão com um fio elétrico é passado até o nível do rim. O tecido cicatricial é então cortado por dentro. Esses procedimentos podem ser feitos em um curto período de tempo ambulatorial com o mínimo de anestesia e com uma recuperação muito mais curta do que com a cirurgia aberta. Os pacientes também terão que manter um tubo interno temporário (stent duplo-J) por quatro a seis semanas. A taxa de sucesso radiográfico com esses procedimentos é 15%-20% menor do que o obtido com a cirurgia aberta. Além disso, 40% dos pacientes podem apresentar dor persistente significativa após o procedimento.
Tratamento cirúrgico da Estenose de JUP.

Conclusão sobre a estenose da junção ureteropélvica em Urologia Pediátrica

A estenose da junção ureteropélvica (Estenose de JUP) é uma condição que na maioria das crianças não causa dano renal e não é necessário intervenção cirúrgica.

Alguns casos precisarão de cirurgia, quando houver padrão obstrutivo, sintomas de dor ou infecções urinárias, além de perda da função renal.

Procure sempre um médico urologista pediátrico para avaliação.

Leia também:

cuidados pos operatorios
Informações ao Paciente
Dr. Anselmo Hoffmann

Cuidados pré-operatórios

Cuidados pré-operatórios: Haverá uma consulta pré-anestesica. Levar todos os exmes nesse dia. No dia do procedimento:  Levar roupas leves Ficar atento as orientações de jejum

Leia mais »
Exame de Urofluxometria
Exames
Dr. Anselmo Hoffmann

Exame de Urofluxometria

O exame de urofluxometria testes e procedimentos são todas formas de saber mais sobre o sistema urinário do seu filho. O objetivo do sistema urinário é

Leia mais »